InícioGlossárioBuscarRegistrar-seConectar-se

Compartilhe
 

  Depoimento de uma arromântica muito louca.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
LisaGi
Acabei de chegar!
Acabei de chegar!
LisaGi

Mensagens 11
Inscrição 05/03/2021
Idade 19
Pensamento O que que eu to fazendo misericórdia

 Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty
MensagemAssunto: Depoimento de uma arromântica muito louca.    Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty5/4/2021, 23:35

Deixo meu depoimento aqui, referente a ser arromântica e como consegui identificar esta nova eu que na verdade é bem velha, porque realizando minhas pesquisas sobre o tema na web, pouco encontrei sobre depoimentos para que então possa entender.

Sempre fui intensamente apaixonada, desde criança sempre tive os meus "crush" no colégio, desde quando me entendo por gente, apaixonar-se a distância sem nunca ter conhecido o que é estar apaixonada, e o toque, é como um abismo obscuro repleto de obstáculos a vencer sem nenhuma luz.

Sempre fui uma devoradora de livros de romance, tanto é que hoje, sendo escritora amadora, meus livros sempre trazem este tópico. Eu era vidrada pelo modo como as personagens se sentiam diante das investidinhas ou paqueradas dos pretendentes, as escritoras sempre trazem algo como "Tremidas no joelho durante o beijo, borboletas no estomago, pele arrepiada, falta de apetite" sintomas presentes em toda personagem apaixonada pelo mocinho ou vilão (as vezes acontece, né?), e que me deixavam carregada de paixão e uma vontade avassaladora de viver um romance tão puro e bonito quanto nos livros, acredito que esta é a primeira ilusão de toda garota, garoto e outros, além da ilusão de anime, mangá e os tão queridos doramas.

Parece fácil entender quando se está apaixonada quando se confia no conteúdo desses livros, mas são muitas vezes enganosos e cheia de purpurinas extras que não condiz com a realidade.

Eu me apaixonava por muita gente todos os dias, e tinha lá meus crushs fixos, os que sempre apareciam no colégio e na faculdade. Já havia me identificado assexual quando arrisquei a conhecer o primeiro crush, pensei que ia infartar de tanto nervosismo e ansiedade, apesar de pegar amizade fácil depois. Quando a amizade tornava mais intensa, obviamente eu e a pessoa já sabíamos nossas intenções, começava as investidas românticas da parte dele: sempre romântico, cheio de poemas e atitudes que eu ficaria super gamada lendo nos livros ou assistindo na televisão em um seriado adolescente, mas estava acontecendo comigo, e todos aqueles elogios meigos e atitudes românticas eram direcionados a mim, e ai a "coisa" começa a mudar.

Detestava mensagens carinhosas, figurinhas e áudios repletos de confissões, sempre tentava fugir para outro assunto porque estava fora de cogitação retribuir com figurinhas melosas que não tinham cabimento.

Assim que as pessoas se declaravam para mim, sentia e ainda sinto, uma espécie muito profunda de enjoo, aversão e desapego da pessoa. Pensei ser o tipo "sem noção que só quer conquistar", mas eu realmente gostava daquela pessoa até ser reciproco, dai pra frente, eu só queria nunca ter conhecido ela na vida.

Foi assim com meus relacionamentos, duravam pouco tempo, porque sempre fui fria e sem sentimentos, isto quebrava o clima romântico. Sentar para conversar, rir, brincar e se divertir eram minhas partes favoritas, mas quando chegava a hora dos abraços, dos amassos, beijos, carinhos e etc, só torcia para acabar de uma vez.

Cheguei a um ponto de passar 5 meses num relacionamento que peguei nojo nas primeiras semanas. Me forcei a isto, porque não queria acreditar que estava acontecendo a mesma coisa de antes. Comecei a desmarcar encontros, afundar nos estudos para ficar sem tempo, e até mentir situações para não encontrar com meu próprio namorado, acreditava que estavam me perdendo aos poucos naquele relacionamento, e apesar de tê-lo iniciado avisando a ele da minha dificuldade em entender se estou apaixonada ou não, ele quis iniciar o namoro como se meus anseios fossem evaporar no céu. Quando não aguentei mais e terminei, senti como se um peso enorme desaparecesse junto com minhas angustias, finalmente teria tempo para entender o que estava acontecendo comigo.

Sem borboletas no estomago, sem tremedeiras no joelho e arrepios, nada disso ocorreu no meu primeiro, segundo, terceiro beijo. Pensei que seria diferente ao beijar outras pessoas mas bem, surpresa, também era a mesma sensação do tipo "meu deus isso é uma língua? eca", não é de todo arromântico, mas eu tenho aversão a beijos e sério, troca de salivas não é nada higiênico.

No dia que descobri que sou arromântica, já tinha deparado com o tema antes, sabia o que era, mas não tinha depoimentos que me identificasse, por isso este meu depoimento é importante para que a próxima pessoa possa se identificar com algum relato de minhas experiências.

Descobrir a comunidade foi como descobrir a saída de um labirinto escuro, chorei, porque sou bem chorona, e no meu quarto sozinha olhei pro teto e soltei o sorriso mais aliviador dos meus anos de vida, exagero? acho que não. Para mim, foi como descobrir a cura de uma doença, apesar de não ser uma doença e sim uma particularidade que nos torna pessoas normais mas também especiais ao carregar uma bandeira aro tão mal compreendida pela sociedade.

É comum que alguns arromanticos, como meu caso, sintam a atração platônica que na comunidade por hora identificamos como Litorromântico: Pessoa que sente atração romântica porém, não deseja que isso seja recíproco, caso aconteça, a atração romântica desaparece.

Além disso, também sinto uma enorme admiração nas minhas amizades e isso acabou me confundindo e levando pra caminhos que não pertenciam a mim.

É importante que a gente se observe diante das pessoas porque seu nervosismo ou frieza diante de um toque pode não ser por conta da timidez ou falta de empatia, e sim porque você gosta daquela pessoa, porque a admira, e não porque quer manter um relacionamento.

Depois de um tempo que fui entender que nunca estive em busca de um namorado, e sim de companhias, amizades intensas cheias de aventuras saudáveis, eu continuo me apaixonando platonicamente por alguns homens que não tenho nenhuma vontade de aprofundar o interesse, assim como sou apaixonada pelos personagens em filmes e livros. Eu, arromantica, mas sou romântica pela vida, pelos amigos, e por meu eu, aprecio muito o romance literário e esta tudo bem ficar por isto mesmo.

Hoje tenho meu Squish, um amigo que mantenho uma amizade tão intensa que passamos muito tempo juntos, e esta perfeito assim.

Acredito que, o quanto antes deixar claro para as pessoas, melhor.Não tem nada melhor do que lutar pelo seu espaço.

Nasci acreditando que tinha um par romântico, que estava perdido por ai e precisava encontrar. Porém a parte que falta esta em nós mesmos. Prezo minha companhia e minha família mais do que qualquer coisa, e isto já me transborda.

Espero muito que tenha esclarecido alguns pontos e que ajude alguém.
Bizarro é ótimo.
estrela



Voltar ao Topo Ir em baixo
AcedeAlice
Novato(a)
Novato(a)
AcedeAlice

Mensagens 45
Inscrição 25/02/2021
Idade 19
Pensamento “I’m just a simple man trying to make my way in the universe.” Jango Fett

 Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty
MensagemAssunto: Re: Depoimento de uma arromântica muito louca.    Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty6/4/2021, 16:42

Achei seu depoimento lindo demais! Acho que nunca vi ninguém mencionar litorromânticos aqui nessa plataforma, mas vi algumas coisas no Aven um tempo atrás, então acho fantástico que você esteja espalhando o conhecimento por aqui, com certeza vai ajudar alguém. 

Eu mesma, apesar de não ser litorromântica me identifiquei com muita coisa que você disse, já li muita coisa de romance, vi filmes e séries, sonhei por muito tempo com um romance como aqueles de dorama, uma coisa mais devagar do que a gente está acostumado, cheio de delicadeza, atenção e carinho, mas toda vez que isso chegava perto da realidade me dava uma repulsão.

Sou apaixonada pelo conceito do romance, adoro ver casais que estão felizes e sempre torço para que dê certo para eles, por muito tempo eu esperava isso para mim também, o que tornou difícil identificar que era arromântica, mas no fim eu acabei numa conclusão parecida com a sua. Só quero amizades que importem mais que tudo, dar para elas as mesmas lentes que eu via nos doramas, porque são essas amizades que me fazem feliz e elas merecem ser vistas como algo que tomam o meu coração por inteiro, algo tão lindo quanto qualquer história de romance.

Estou muito feliz que você tenha encontrado a gente aqui, espero que você sempre se sinta tão acolhida como eu me sinto.
Voltar ao Topo Ir em baixo
BPBertolino
Novato(a)
Novato(a)
BPBertolino

Mensagens 47
Inscrição 30/09/2011
Idade 33

 Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty
MensagemAssunto: Re: Depoimento de uma arromântica muito louca.    Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty6/4/2021, 20:16

A felicidade de vocês é cativante. Acho que essa questão da visibilidade funciona mesmo, então agradeço aos esforçados administradores pelo espaço. piscando

Aproveitando a citação da AcedeAlice acima, se quiser se refastelar de depoimentos (e souber inglês), acesse o fórum da AVEN!
Voltar ao Topo Ir em baixo
AnaGuimaraes
Novato(a)
Novato(a)
AnaGuimaraes

Mensagens 32
Inscrição 25/09/2020
Idade 44
Pensamento "Nasci de novo quando meu corpo se apaixonou por meu ser e acabaram se casando." (Khalil Gibran, A areia e a espuma.)

 Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty
MensagemAssunto: Re: Depoimento de uma arromântica muito louca.    Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty6/4/2021, 20:46

LisaGi escreveu:
[i]
Descobrir a comunidade foi como descobrir a saída de um labirinto escuro, chorei, porque sou bem chorona, e no meu quarto sozinha olhei pro teto e soltei o sorriso mais aliviador dos meus anos de vida, exagero? acho que não.

Exagero nenhum! É mesmo como tirar um caminhão de pedras das costas.
A gente passa até a respirar melhor. A sensação é de pura leveza.
Obrigada pelo depoimento. Me identifiquei muito.
E bem-vinda ao Clube do Bolo! fatia de bolo sorrindo mais
Voltar ao Topo Ir em baixo
kahu
Aprendiz
Aprendiz
kahu

Mensagens 103
Inscrição 19/09/2020
Idade 36

 Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty
MensagemAssunto: Re: Depoimento de uma arromântica muito louca.    Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty6/4/2021, 20:53

LisaGi escreveu:
Deixo meu depoimento aqui, referente a ser arromântica e como consegui identificar esta nova eu que na verdade é bem velha, porque realizando minhas pesquisas sobre o tema na web, pouco encontrei sobre depoimentos para que então possa entender.

Sempre fui intensamente apaixonada, desde criança sempre tive os meus "crush" no colégio, desde quando me entendo por gente, apaixonar-se a distância sem nunca ter conhecido o que é estar apaixonada, e o toque, é como um abismo obscuro repleto de obstáculos a vencer sem nenhuma luz.

Sempre fui uma devoradora de livros de romance, tanto é que hoje, sendo escritora amadora, meus livros sempre trazem este tópico. Eu era vidrada pelo modo como as personagens se sentiam diante das investidinhas ou paqueradas dos pretendentes, as escritoras sempre trazem algo como "Tremidas no joelho durante o beijo, borboletas no estomago, pele arrepiada, falta de apetite" sintomas presentes em toda personagem apaixonada pelo mocinho ou vilão (as vezes acontece, né?), e que me deixavam carregada de paixão e uma vontade avassaladora de viver um romance tão puro e bonito quanto nos livros, acredito que esta é a primeira ilusão de toda garota, garoto e outros, além da ilusão de anime, mangá e os tão queridos doramas.

Parece fácil entender quando se está apaixonada quando se confia no conteúdo desses livros, mas são muitas vezes enganosos e cheia de purpurinas extras que não condiz com a realidade.

Eu me apaixonava por muita gente todos os dias, e tinha lá meus crushs fixos, os que sempre apareciam no colégio e na faculdade. Já havia me identificado assexual quando arrisquei a conhecer o primeiro crush, pensei que ia infartar de tanto nervosismo e ansiedade, apesar de pegar amizade fácil depois. Quando a amizade tornava mais intensa, obviamente eu e a pessoa já sabíamos nossas intenções, começava as investidas românticas da parte dele: sempre romântico, cheio de poemas e atitudes que eu ficaria super gamada lendo nos livros ou assistindo na televisão em um seriado adolescente, mas estava acontecendo comigo, e todos aqueles elogios meigos e atitudes românticas eram direcionados a mim, e ai a "coisa" começa a mudar.

Detestava mensagens carinhosas, figurinhas e áudios repletos de confissões, sempre tentava fugir para outro assunto porque estava fora de cogitação retribuir com figurinhas melosas que não tinham cabimento.

Assim que as pessoas se declaravam para mim, sentia e ainda sinto, uma espécie muito profunda de enjoo, aversão e desapego da pessoa. Pensei ser o tipo "sem noção que só quer conquistar", mas eu realmente gostava daquela pessoa até ser reciproco, dai pra frente, eu só queria nunca ter conhecido ela na vida.

Foi assim com meus relacionamentos, duravam pouco tempo, porque sempre fui fria e sem sentimentos, isto quebrava o clima romântico. Sentar para conversar, rir, brincar e se divertir eram minhas partes favoritas, mas quando chegava a hora dos abraços, dos amassos, beijos, carinhos e etc, só torcia para acabar de uma vez.

Cheguei a um ponto de passar 5 meses num relacionamento que peguei nojo nas primeiras semanas. Me forcei a isto, porque não queria acreditar que estava acontecendo a mesma coisa de antes. Comecei a desmarcar encontros, afundar nos estudos para ficar sem tempo, e até mentir situações para não encontrar com meu próprio namorado, acreditava que estavam me perdendo aos poucos naquele relacionamento, e apesar de tê-lo iniciado avisando a ele da minha dificuldade em entender se estou apaixonada ou não, ele quis iniciar o namoro como se meus anseios fossem evaporar no céu. Quando não aguentei mais e terminei, senti como se um peso enorme desaparecesse junto com minhas angustias, finalmente teria tempo para entender o que estava acontecendo comigo.

Sem borboletas no estomago, sem tremedeiras no joelho e arrepios, nada disso ocorreu no meu primeiro, segundo, terceiro beijo. Pensei que seria diferente ao beijar outras pessoas mas bem, surpresa, também era a mesma sensação do tipo "meu deus isso é uma língua? eca", não é de todo arromântico, mas eu tenho aversão a beijos e sério, troca de salivas não é nada higiênico.

No dia que descobri que sou arromântica, já tinha deparado com o tema antes, sabia o que era, mas não tinha depoimentos que me identificasse, por isso este meu depoimento é importante para que a próxima pessoa possa se identificar com algum relato de minhas experiências.

Descobrir a comunidade foi como descobrir a saída de um labirinto escuro, chorei, porque sou bem chorona, e no meu quarto sozinha olhei pro teto e soltei o sorriso mais aliviador dos meus anos de vida, exagero? acho que não. Para mim, foi como descobrir a cura de uma doença, apesar de não ser uma doença e sim uma particularidade que nos torna pessoas normais mas também especiais ao carregar uma bandeira aro tão mal compreendida pela sociedade.

É comum que alguns arromanticos, como meu caso, sintam a atração platônica que na comunidade por hora identificamos como Litorromântico: Pessoa que sente atração romântica porém, não deseja que isso seja recíproco, caso aconteça, a atração romântica desaparece.

Além disso, também sinto uma enorme admiração nas minhas amizades e isso acabou me confundindo e levando pra caminhos que não pertenciam a mim.

É importante que a gente se observe diante das pessoas porque seu nervosismo ou frieza diante de um toque pode não ser por conta da timidez ou falta de empatia, e sim porque você gosta daquela pessoa, porque a admira, e não porque quer manter um relacionamento.

Depois de um tempo que fui entender que nunca estive em busca de um namorado, e sim de companhias, amizades intensas cheias de aventuras saudáveis, eu continuo me apaixonando platonicamente por alguns homens que não tenho nenhuma vontade de aprofundar o interesse, assim como sou apaixonada pelos personagens em filmes e livros. Eu, arromantica, mas sou romântica pela vida, pelos amigos, e por meu eu, aprecio muito o romance literário e esta tudo bem ficar por isto mesmo.

Hoje tenho meu Squish, um amigo que mantenho uma amizade tão intensa que passamos muito tempo juntos, e esta perfeito assim.

Acredito que, o quanto antes deixar claro para as pessoas, melhor.Não tem nada melhor do que lutar pelo seu espaço.

Nasci acreditando que tinha um par romântico, que estava perdido por ai e precisava encontrar. Porém a parte que falta esta em nós mesmos. Prezo minha companhia e minha família mais do que qualquer coisa, e isto já me transborda.

Espero muito que tenha esclarecido alguns pontos e que ajude alguém.
Bizarro é ótimo.
estrela




Passei boa parte da adolescência e parte da vida adulta tendo amores platônicos e idealizados. Sempre queria a proximidade com amizade e em alguns casoa com beijo e carícias. A relação sexual nunca foi chamativa pra mim nessa época.
Quando estava namorando sentia falta de ter uma amizade próxima pra me complementar. Inclusive tive uma grande amizade dos tempos de escolas que nunca virou um relacionamento até por termos muitas diferenças nesse sentido mas a gente se completava como amigos e durou dos mais de 10 anos atravessando até um casamento.
Hoje eu me identifico como Gray-A embora nem lembre a última relação que tive. Não sinto falta disso mas sinto falta de uma amizade conforme você descreveu.


Voltar ao Topo Ir em baixo
LisaGi
Acabei de chegar!
Acabei de chegar!
LisaGi

Mensagens 11
Inscrição 05/03/2021
Idade 19
Pensamento O que que eu to fazendo misericórdia

 Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty
MensagemAssunto: Re: Depoimento de uma arromântica muito louca.    Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty6/4/2021, 21:12

AcedeAlice

Senti que estava conversando comigo mesma lendo sua mensagem.

Você simplificou os fatos e me identifico mais ainda com seu breve relato. Adoro doramas, inclusive se já chegou a assistir: Pousando no amor, Jardim de meteoros, Nosso lugar secreto e Love Alarm, acho que sofremos bastantes de tanta paixão por essas séries maravilhosas.

As pessoas costumam achar que somos sim românticas amorosas quando nos apaixonamos por personagens em livros, filmes e series, ou quando vibramos de emoção quando rola aquela química maravilhosa do casal que shippamos no começo, mas a gente sabe que só fica por ai, conosco não soma, porque estamos apenas apaixonadas pelo conceito do romance, e o que ele faz com as pessoas (positivamente).

E a gente sabe que somos verdadeiramente apaixonadas pela arte, pela vida, e pelos laços familiares e de amizades.

Obrigada pela mensagem inclusive.
Voltar ao Topo Ir em baixo
LisaGi
Acabei de chegar!
Acabei de chegar!
LisaGi

Mensagens 11
Inscrição 05/03/2021
Idade 19
Pensamento O que que eu to fazendo misericórdia

 Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty
MensagemAssunto: Re: Depoimento de uma arromântica muito louca.    Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty6/4/2021, 21:20

AnaGuimaraes escreveu:
LisaGi escreveu:
[i]
Descobrir a comunidade foi como descobrir a saída de um labirinto escuro, chorei, porque sou bem chorona, e no meu quarto sozinha olhei pro teto e soltei o sorriso mais aliviador dos meus anos de vida, exagero? acho que não.

Exagero nenhum! É mesmo como tirar um caminhão de pedras das costas.
A gente passa até a respirar melhor. A sensação é de pura leveza.
Obrigada pelo depoimento. Me identifiquei muito.
E bem-vinda ao Clube do Bolo! fatia de bolo sorrindo mais


Já me sinto super acolhida, e totalmente aliviada já que encontrei pessoas que confirmam que não estou louca em meu depoimento? rindo muito , isso só evidencia que estou no lugar certo e estou bem em finalmente relatar fatos que não deixo aberto para todos, nem todos entendem.
fatia de bolo coração roxo
Obrigada
Voltar ao Topo Ir em baixo
LisaGi
Acabei de chegar!
Acabei de chegar!
LisaGi

Mensagens 11
Inscrição 05/03/2021
Idade 19
Pensamento O que que eu to fazendo misericórdia

 Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty
MensagemAssunto: Re: Depoimento de uma arromântica muito louca.    Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty6/4/2021, 21:33

kahu escreveu:
LisaGi escreveu:
Deixo meu depoimento aqui, referente a ser arromântica e como consegui identificar esta nova eu que na verdade é bem velha, porque realizando minhas pesquisas sobre o tema na web, pouco encontrei sobre depoimentos para que então possa entender.

Sempre fui intensamente apaixonada, desde criança sempre tive os meus "crush" no colégio, desde quando me entendo por gente, apaixonar-se a distância sem nunca ter conhecido o que é estar apaixonada, e o toque, é como um abismo obscuro repleto de obstáculos a vencer sem nenhuma luz.

Sempre fui uma devoradora de livros de romance, tanto é que hoje, sendo escritora amadora, meus livros sempre trazem este tópico. Eu era vidrada pelo modo como as personagens se sentiam diante das investidinhas ou paqueradas dos pretendentes, as escritoras sempre trazem algo como "Tremidas no joelho durante o beijo, borboletas no estomago, pele arrepiada, falta de apetite" sintomas presentes em toda personagem apaixonada pelo mocinho ou vilão (as vezes acontece, né?), e que me deixavam carregada de paixão e uma vontade avassaladora de viver um romance tão puro e bonito quanto nos livros, acredito que esta é a primeira ilusão de toda garota, garoto e outros, além da ilusão de anime, mangá e os tão queridos doramas.

Parece fácil entender quando se está apaixonada quando se confia no conteúdo desses livros, mas são muitas vezes enganosos e cheia de purpurinas extras que não condiz com a realidade.

Eu me apaixonava por muita gente todos os dias, e tinha lá meus crushs fixos, os que sempre apareciam no colégio e na faculdade. Já havia me identificado assexual quando arrisquei a conhecer o primeiro crush, pensei que ia infartar de tanto nervosismo e ansiedade, apesar de pegar amizade fácil depois. Quando a amizade tornava mais intensa, obviamente eu e a pessoa já sabíamos nossas intenções, começava as investidas românticas da parte dele: sempre romântico, cheio de poemas e atitudes que eu ficaria super gamada lendo nos livros ou assistindo na televisão em um seriado adolescente, mas estava acontecendo comigo, e todos aqueles elogios meigos e atitudes românticas eram direcionados a mim, e ai a "coisa" começa a mudar.

Detestava mensagens carinhosas, figurinhas e áudios repletos de confissões, sempre tentava fugir para outro assunto porque estava fora de cogitação retribuir com figurinhas melosas que não tinham cabimento.

Assim que as pessoas se declaravam para mim, sentia e ainda sinto, uma espécie muito profunda de enjoo, aversão e desapego da pessoa. Pensei ser o tipo "sem noção que só quer conquistar", mas eu realmente gostava daquela pessoa até ser reciproco, dai pra frente, eu só queria nunca ter conhecido ela na vida.

Foi assim com meus relacionamentos, duravam pouco tempo, porque sempre fui fria e sem sentimentos, isto quebrava o clima romântico. Sentar para conversar, rir, brincar e se divertir eram minhas partes favoritas, mas quando chegava a hora dos abraços, dos amassos, beijos, carinhos e etc, só torcia para acabar de uma vez.

Cheguei a um ponto de passar 5 meses num relacionamento que peguei nojo nas primeiras semanas. Me forcei a isto, porque não queria acreditar que estava acontecendo a mesma coisa de antes. Comecei a desmarcar encontros, afundar nos estudos para ficar sem tempo, e até mentir situações para não encontrar com meu próprio namorado, acreditava que estavam me perdendo aos poucos naquele relacionamento, e apesar de tê-lo iniciado avisando a ele da minha dificuldade em entender se estou apaixonada ou não, ele quis iniciar o namoro como se meus anseios fossem evaporar no céu. Quando não aguentei mais e terminei, senti como se um peso enorme desaparecesse junto com minhas angustias, finalmente teria tempo para entender o que estava acontecendo comigo.

Sem borboletas no estomago, sem tremedeiras no joelho e arrepios, nada disso ocorreu no meu primeiro, segundo, terceiro beijo. Pensei que seria diferente ao beijar outras pessoas mas bem, surpresa, também era a mesma sensação do tipo "meu deus isso é uma língua? eca", não é de todo arromântico, mas eu tenho aversão a beijos e sério, troca de salivas não é nada higiênico.

No dia que descobri que sou arromântica, já tinha deparado com o tema antes, sabia o que era, mas não tinha depoimentos que me identificasse, por isso este meu depoimento é importante para que a próxima pessoa possa se identificar com algum relato de minhas experiências.

Descobrir a comunidade foi como descobrir a saída de um labirinto escuro, chorei, porque sou bem chorona, e no meu quarto sozinha olhei pro teto e soltei o sorriso mais aliviador dos meus anos de vida, exagero? acho que não. Para mim, foi como descobrir a cura de uma doença, apesar de não ser uma doença e sim uma particularidade que nos torna pessoas normais mas também especiais ao carregar uma bandeira aro tão mal compreendida pela sociedade.

É comum que alguns arromanticos, como meu caso, sintam a atração platônica que na comunidade por hora identificamos como Litorromântico: Pessoa que sente atração romântica porém, não deseja que isso seja recíproco, caso aconteça, a atração romântica desaparece.

Além disso, também sinto uma enorme admiração nas minhas amizades e isso acabou me confundindo e levando pra caminhos que não pertenciam a mim.

É importante que a gente se observe diante das pessoas porque seu nervosismo ou frieza diante de um toque pode não ser por conta da timidez ou falta de empatia, e sim porque você gosta daquela pessoa, porque a admira, e não porque quer manter um relacionamento.

Depois de um tempo que fui entender que nunca estive em busca de um namorado, e sim de companhias, amizades intensas cheias de aventuras saudáveis, eu continuo me apaixonando platonicamente por alguns homens que não tenho nenhuma vontade de aprofundar o interesse, assim como sou apaixonada pelos personagens em filmes e livros. Eu, arromantica, mas sou romântica pela vida, pelos amigos, e por meu eu, aprecio muito o romance literário e esta tudo bem ficar por isto mesmo.

Hoje tenho meu Squish, um amigo que mantenho uma amizade tão intensa que passamos muito tempo juntos, e esta perfeito assim.

Acredito que, o quanto antes deixar claro para as pessoas, melhor.Não tem nada melhor do que lutar pelo seu espaço.

Nasci acreditando que tinha um par romântico, que estava perdido por ai e precisava encontrar. Porém a parte que falta esta em nós mesmos. Prezo minha companhia e minha família mais do que qualquer coisa, e isto já me transborda.

Espero muito que tenha esclarecido alguns pontos e que ajude alguém.
Bizarro é ótimo.
estrela




Passei boa parte da adolescência e parte da vida adulta tendo amores platônicos e idealizados. Sempre queria a proximidade com amizade e em alguns casoa com beijo e carícias. A relação sexual nunca foi chamativa pra mim nessa época.
Quando estava namorando sentia falta de ter uma amizade próxima pra me complementar. Inclusive tive uma grande amizade dos tempos de escolas que nunca virou um relacionamento até por termos muitas diferenças nesse sentido mas a gente se completava como amigos e durou dos mais de 10 anos atravessando até um casamento.
Hoje eu me identifico como Gray-A embora nem lembre a última relação que tive. Não sinto falta disso mas sinto falta de uma amizade conforme você descreveu.




Você tem razão, pelo menos quando descobri mais sobre o termo Squish, comecei a entender que se não queria buscar um relacionamento na minha vida, existia a possibilidade de encontrar um amizade intensa. Sei um pouco sobre Gray-A, pensei ser assim com relação a assexualidade, mas depois de uma autorreflexão entendi que sou estrita. Acho que quando você explica seus limites e sobre você para alguém que te respeita, acredito que tem grande chance de virar uma amizade de se levar pra viagens, pra momentos bons, e uma amizade de 10 anos é muito tempo, fico feliz que exista essa possibilidade, hoje em dia, amizade tem tantos obstáculos e nem sempre duram.

Agradeço pelo depoimento  Depoimento de uma arromântica muito louca. 1f49b  Depoimento de uma arromântica muito louca. 1f49b
Voltar ao Topo Ir em baixo
AcedeAlice
Novato(a)
Novato(a)
AcedeAlice

Mensagens 45
Inscrição 25/02/2021
Idade 19
Pensamento “I’m just a simple man trying to make my way in the universe.” Jango Fett

 Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty
MensagemAssunto: Re: Depoimento de uma arromântica muito louca.    Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty7/4/2021, 09:33

LisaGi escreveu:
AcedeAlice

Senti que estava conversando comigo mesma lendo sua mensagem.

Você simplificou os fatos e me identifico mais ainda com seu breve relato. Adoro doramas, inclusive se já chegou a assistir: Pousando no amor, Jardim de meteoros, Nosso lugar secreto e Love Alarm, acho que sofremos bastantes de tanta paixão por essas séries maravilhosas.

As pessoas costumam achar que somos sim românticas amorosas quando nos apaixonamos por personagens em livros, filmes e series, ou quando vibramos de emoção quando rola aquela química maravilhosa do casal que shippamos no começo, mas a gente sabe que só fica por ai, conosco não soma, porque estamos apenas apaixonadas pelo conceito do romance, e o que ele faz com as pessoas (positivamente).

E a gente sabe que somos verdadeiramente apaixonadas pela arte, pela vida, e pelos laços familiares e de amizades.

Obrigada pela mensagem inclusive.

Não precisa agradecer não, eu também fiquei super feliz de ler o que você escreveu, é sempre bom encontrar alguém que vai na mesma vibe e tem uma perspectiva parecida com a nossa, eu fico toda empolgada, apesar de ser bem introvertida e antissocial kkkkkk.

Desses daí já vi Jardim de Meteoros e Love Alarm. Um dos meus favoritos de todos os tempos é Something in the Rain, foi um dos primeiros que eu vi e posso dizer que ninguém supera o Jun-hui, sou completamente apaixonada por ele (do jeito mais aro possível), o dorama também toca em uns assuntos como o lugar da mulher no mercado de trabalho e com certeza vale a pena ver, se você não viu ainda. Primeira Vez Amor e Hello, My Twenties, embora a minha parte favorita desse último não seja o romance e sim a amizade entre as meninas, são outros dois que achei muito bons. Vou adicionar Pousando no Amor e Nosso Lugar Secreto na minha lista para ver depois piscando
Voltar ao Topo Ir em baixo
LisaGi
Acabei de chegar!
Acabei de chegar!
LisaGi

Mensagens 11
Inscrição 05/03/2021
Idade 19
Pensamento O que que eu to fazendo misericórdia

 Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty
MensagemAssunto: Re: Depoimento de uma arromântica muito louca.    Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty7/4/2021, 21:56

AcedeAlice escreveu:
LisaGi escreveu:
AcedeAlice

Senti que estava conversando comigo mesma lendo sua mensagem.

Você simplificou os fatos e me identifico mais ainda com seu breve relato. Adoro doramas, inclusive se já chegou a assistir: Pousando no amor, Jardim de meteoros, Nosso lugar secreto e Love Alarm, acho que sofremos bastantes de tanta paixão por essas séries maravilhosas.

As pessoas costumam achar que somos sim românticas amorosas quando nos apaixonamos por personagens em livros, filmes e series, ou quando vibramos de emoção quando rola aquela química maravilhosa do casal que shippamos no começo, mas a gente sabe que só fica por ai, conosco não soma, porque estamos apenas apaixonadas pelo conceito do romance, e o que ele faz com as pessoas (positivamente).

E a gente sabe que somos verdadeiramente apaixonadas pela arte, pela vida, e pelos laços familiares e de amizades.

Obrigada pela mensagem inclusive.




Não precisa agradecer não, eu também fiquei super feliz de ler o que você escreveu, é sempre bom encontrar alguém que vai na mesma vibe e tem uma perspectiva parecida com a nossa, eu fico toda empolgada, apesar de ser bem introvertida e antissocial kkkkkk.

Desses daí já vi Jardim de Meteoros e Love Alarm. Um dos meus favoritos de todos os tempos é Something in the Rain, foi um dos primeiros que eu vi e posso dizer que ninguém supera o Jun-hui, sou completamente apaixonada por ele (do jeito mais aro possível), o dorama também toca em uns assuntos como o lugar da mulher no mercado de trabalho e com certeza vale a pena ver, se você não viu ainda. Primeira Vez Amor e Hello, My Twenties, embora a minha parte favorita desse último não seja o romance e sim a amizade entre as meninas, são outros dois que achei muito bons. Vou adicionar Pousando no Amor e Nosso Lugar Secreto na minha lista para ver depois piscando




Uau sim! Pousando no amor é o meu favorito, e me sinto muito desatualizada porque pesquisei o dorama Something in the Rain, e a protagonista é a mesma (adoro ela). Jardim de Meteoros, nunca vou entender porque sempre fiquei boiolinha com o daoming si, mentira, só de olhar pra ela já é compreensível, muito fofo. E Love Alarm me surpreendeu na nova temporada. Com certeza Something in the Rain esta na minha lista agora. Preciso de plataformas boas para doramas que não seja o Viky, se souber de alguma, por favor me socorre.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Karnonha
Acabei de chegar!
Acabei de chegar!
Karnonha

Mensagens 11
Inscrição 18/03/2021
Idade 19
Pensamento Se queres vencer o mundo, vence-te a ti mesmo.

 Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty
MensagemAssunto: Re: Depoimento de uma arromântica muito louca.    Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty9/4/2021, 19:11

Aaaa, super feliz de ter lido seu depoimento. Estava real me sentindo meio deslocada e um tanto confusa... Me identifico em muitos pontos com você, tirando o lance de eu ter namorado por uns 3 anos... Acredito que tenha a ver com eu não ser arromantica? Quem sabe... Mas agora que estou solteira, acabei percebendo vários pontos e situações que não encaixavam em um conceito alo de relacionamento e que eu mesma nunca reparava. Geralmente as pessoas apontavam que eu era "insensível", "rude", "grosseira", e eu não compreendia muito bem o porquê. Acredito que no meu relacionamento, mesmo gostando do meu ex, gostando da sua companhia, da pessoa que ele era, etc (ele era tudo oq eu idealizei em um companheiro tipo. Totalmente), faltava alguma coisa... Que eu não conseguia identificar o que era.
Eu nunca me senti confortável beijando de língua... Nunca entendi o propósito e nunca senti nada, pelo menos não por muito tempo. Além disso eu sinto repulsa depois do beijo ou seja, fico desconfortável, a famosa "depressão pós beijo", por uns dias... Com o meu ex foi a mesma coisa. No começo essa repulsa era insuportável, e então eu até acostumei com ela... Mas determinados contatos físicos ou demonstrações de afeto eram "difíceis de engolir"... Então do início do namoro até o final, nunca parei de me questionar se eu realmente gostava dele... Se eu gostava dele como sempre vi q alos se gostam, no mínimo... Ou nas fantasias, nos livros, histórias, etc.

Agora, pelo menos, sou capaz de ter um outro olhar sobre a situação... Também sempre fui do tipo de se apaixonar fácil, até por várias pessoas ao mesmo tempo... E realmente n me incomodava a pessoa nutrir sentimentos por mim também, na vdd isso me agradava mais. Acredito que oq realmente me atrai é o "jogo da paquera". É divertido, emocionante... Principalmente com a paixão... Mas então, quando a coisa fica mais séria, tirando com o meu ex, fugi de qualquer comprometimento e contato físico. No momento acredito que nunca gostei de nenhuma das pessoas que julguei gostar... Acredito que me apaixonei pelas minhas próprias ideaçoes sobre elas e no nosso relacionamento, mas é muito cansativo pensar em dar continuidade a esse "amor", principalmente levando em conta que eu vou me desiludir um pouco...

De um modo geral... Ainda estou me percebendo e me descobrindo. Tive a mesmíssima reação que você quando pôde dizer com alívio que era ace... Eu mesma não consegui conter meu próprio sorrisao... Finalmente pude dizer a mim mesma que não precisava forçar nada... Eu podia respeitar o meu espaço e o meu tempo e também agora era mais capaz de comunicar as pessoas sobre eles... Enfim, acredito que em algum momento vou me descobrir arromantica também... Eu sinto um tanto lá no fundo que só está esperando para se reafirmar... Paciência então...
Voltar ao Topo Ir em baixo
https://oquarto.medium.com/
LisaGi
Acabei de chegar!
Acabei de chegar!
LisaGi

Mensagens 11
Inscrição 05/03/2021
Idade 19
Pensamento O que que eu to fazendo misericórdia

 Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty
MensagemAssunto: Re: Depoimento de uma arromântica muito louca.    Depoimento de uma arromântica muito louca. EmptyOntem à(s) 14:46

Karnonha escreveu:
Aaaa, super feliz de ter lido seu depoimento. Estava real me sentindo meio deslocada e um tanto confusa... Me identifico em muitos pontos com você, tirando o lance de eu ter namorado por uns 3 anos... Acredito que tenha a ver com eu não ser arromantica? Quem sabe... Mas agora que estou solteira, acabei percebendo vários pontos e situações que não encaixavam em um conceito alo de relacionamento e que eu mesma nunca reparava. Geralmente as pessoas apontavam que eu era "insensível", "rude", "grosseira", e eu não compreendia muito bem o porquê. Acredito que no meu relacionamento, mesmo gostando do meu ex, gostando da sua companhia, da pessoa que ele era, etc (ele era tudo oq eu idealizei em um companheiro tipo. Totalmente), faltava alguma coisa... Que eu não conseguia identificar o que era.
Eu nunca me senti confortável beijando de língua... Nunca entendi o propósito e nunca senti nada, pelo menos não por muito tempo. Além disso eu sinto repulsa depois do beijo ou seja, fico desconfortável, a famosa "depressão pós beijo", por uns dias... Com o meu ex foi a mesma coisa. No começo essa repulsa era insuportável, e então eu até acostumei com ela... Mas determinados contatos físicos ou demonstrações de afeto eram "difíceis de engolir"... Então do início do namoro até o final, nunca parei de me questionar se eu realmente gostava dele... Se eu gostava dele como sempre vi q alos se gostam, no mínimo... Ou nas fantasias, nos livros, histórias, etc.

Agora, pelo menos, sou capaz de ter um outro olhar sobre a situação... Também sempre fui do tipo de se apaixonar fácil, até por várias pessoas ao mesmo tempo... E realmente n me incomodava a pessoa nutrir sentimentos por mim também, na vdd isso me agradava mais. Acredito que oq realmente me atrai é o "jogo da paquera". É divertido, emocionante... Principalmente com a paixão... Mas então, quando a coisa fica mais séria, tirando com o meu ex, fugi de qualquer comprometimento e contato físico. No momento acredito que nunca gostei de nenhuma das pessoas que julguei gostar... Acredito que me apaixonei pelas minhas próprias ideaçoes sobre elas e no nosso relacionamento, mas é muito cansativo pensar em dar continuidade a esse "amor", principalmente levando em conta que eu vou me desiludir um pouco...

De um modo geral... Ainda estou me percebendo e me descobrindo. Tive a mesmíssima reação que você quando pôde dizer com alívio que era ace... Eu mesma não consegui conter meu próprio sorrisao... Finalmente pude dizer a mim mesma que não precisava forçar nada... Eu podia respeitar o meu espaço e o meu tempo e também agora era mais capaz de comunicar as pessoas sobre eles... Enfim, acredito que em algum momento vou me descobrir arromantica também... Eu sinto um tanto lá no fundo que só está esperando para se reafirmar... Paciência então...



Você disse tudo, principalmente com relação a não se forçar a nada. Eu, pelo menos acredito ter sido muito agressiva com meus sentimentos, forçando emoções nunca existentes, decorando momentos péssimos para ignorar o fardo de não estar apaixonada. Essa depressão pós beijo é muito real kkk, lembro que me sobia uma vontade de enjoo gigantesca. Estar apaixonada pelas ideações também é algo que costumei a fazer, e entender que gosto do contexto, do que fantasio em minha mente, mas nada é melhor do que isso, a prática, é agoniante. Também fico cansada em pensar no depois, particularmente gosto muito do meu espaço, e sempre odiei gastar meu fim de semana para sair com meu namorado, porque nunca era proveitoso: eu perdia uma tarde de filmes com minha família, perdia momentos bons com pessoas que amo, para ficar ao lado de alguém que se quer gostei. Todo o comprometimento de sair com a pessoa, e estar constantemente conversando com ela, é algo natural para os alos, que para mim, é como uma cobrança, uma obrigação, nunca natural. Sempre quando elogiava meu namorado, respondendo a seus carinhos, eu dizia aquilo que ele queria escutar, nunca veio de mim. Vejo a enorme diferença comparar com uma linha estreita, com as amizades, é mais leve, não tem muito comprometimento, e a preocupação que sinto é natural como se preocupar com um irmão.
Acho que você estar nesse processo de autoconhecimento e descoberta como disse, é construtivo, evoluído. Quem sabe de repente, arromantica gray-a, hoje temos explicações para quase tudo, mas não precisamos nos agarrar a estes rótulos se não quisermos.
Agradeço pelo depoimento.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




 Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty
MensagemAssunto: Re: Depoimento de uma arromântica muito louca.    Depoimento de uma arromântica muito louca. Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 

Depoimento de uma arromântica muito louca.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Comunidade Assexual :: Comunidade Assexual :: Depoimentos-